Páginas

terça-feira, 29 de março de 2011

"... you are the only exception."

afinal, para quê palavras dificieis?
sabemos todos utilizar as mais simples para descrever o que sentimos. não por completo. mas conseguimos.
quero perceber o porquê de tanta coisa existir, se poderiamos viver com meia duzia delas, os nossos bens essenciais e muito pouco mais.
quero perceber o porquê de amar-mos, se estamos constantemente a sofrer por quem nos ama também. sim, porque, muitas vezes, quem nos ama, é quem faz com que nos sinta-mos mal, rebaixados, com tristeza. se não amasse-mos, não iriamos descobrir as coisas boas que isso trás, é verdade. mas então, se é uma coisa tão bonita como todos dizem, porquê não trazer só coisas bonitas? sem sofrimento? (...) julgo que não haverá nunca resposta para isto.
quero perceber o porquê de usármos as pessoas. sim, eu própria o fiz. quem não fez? e, não vale a pena dizerem que não fizeram, porque todos já erramos neste aspecto, nem que seja uma vez na vida, apenas uma, mas já errámos. muitas das vezes, magoamos os outros sem nos dar conta, porque não é a nós que afecta, é a eles, aos outros, aos que nos rodeiam.
quero perceber o porquê de tantas pessoas se tratarem mal. o porquê de haver tanto perconceito umas com as outras. quero também, perceber o porquê de nos julgarmos, de criticarmos, e de falarmos sem, simplesmente conhecer os outros. isto é muito visto, ultimamente. não só ultimamente, isto já vem há uns bons anos atrás, e continuou a afectar as pessoas do presente.
todos temos os nossos defeitos, qualidades, pontos altos e pontos fracos. porquê julgar, se nós também os temos? diferentes, sim, mas porquê? de certo que o outro fará melhor uma coisa que nós não fazemos.
mas julgo que será sempre assim, não só de agora, mas para sempre. até este mundo acabar.
será que não dá para ver quando estamos a errar, nestes aspectos? será? pois bem, eu vejo, toda a gente vê, mas ninguém quer corrigir.
e agora, indo ao titulo deste post.
ninguém será excepção destas acções. NINGUÉM. vitima ou não, mas ninguém será excepção.
todos teremos de aprender que todos nós erramos, e que ninguém deveria ser julgado por isso. ninguém é perfeito.
o meu ponto de vista, está dito e feito.